quarta-feira, 17 de março de 2010

Medicamentos orais

Tratamento da esclerose múltipla por via oral pode ser possível em 2011.

Pesquisadores analisaram cerca de 1.000 pessoas em 18 países.

Esse é o tipo mais comum de desordem neurológica que afeta adultos jovens - são cerca de 100 mil no Reino Unido e 2,5 milhões em todo o mundo.

A ingestão de medicamentos orais para tratar a esclerose múltipla pode estar disponível no mercado a partir de 2011, indica pesquisa publicada no New England Journal of Medicine. Os pesquisadores tiveram resultados animadores após dois experimentos e basearam seus estudos em entrevistas com mais de 1.000 pessoas de 18 países.

Segundo Doug Brown, gerente de Pesquisas Biomédicas da Sociedade de Esclerose Múltipla, este é o tipo mais comum de desordem neurológica que afeta adultos jovens - são cerca de 100 mil no Reino Unido e 2,5 milhões em todo o mundo. Para o especialista, a descoberta pode representar um novo rumo ao tratamento da doença.

Os tratamentos atuais envolvem injeções e infusões, mas a opção dos medicamentos por via oral pode ser viável com Cladribina e Fingolimod, que vêm na forma de comprimidos. Testado, o Fingolimod mostrou-se duas vezes mais eficaz na redução do número de recaídas durante um ano se comparado a uma das injeções usadas no tratamento da esclerose múltipla, com o interferon beta 1a.

De acordo com especialistas, esperava-se o desenvolvimento de pílulas há muitos anos. Mas ainda existem dúvidas em relação a elas. Alguns médicos expressam preocupações sobre efeitos colaterais, como o possível aumento no risco de desenvolver herpes e câncer. Outra preocupação é de que as novas drogas possam aumentar os custos dos tratamentos.

Os principais sintomas da esclerose múltipla são relacionados a problemas de mobilidade, falta de controle urinário e intestinal e visão turva.
 
Fonte http://noticias.r7.com/saude/noticias/tratamento-da-esclerose-multiplapor-via-oral-pode-ser-possivel-em-2011-20100122.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário