sábado, 3 de abril de 2010

Pesquisas em andamento

1. Que fatores fazem com que a EM seja mais benigna em algumas pessoas?

Os Drs. Marco Aurélio Lana e Marcos Moreira trabalham na análise de um grande banco de dados de vários centros de tratamento da esclerose múltipla no Brasil, incluindo o CIEM, o Hospital das Clínicas de São Paulo e os Centros de Esclerose Múltipla da Universidade do Estado de São Paulo em Botucatu e em Sorocaba. Esta análise vai permitir conhecer como a esclerose múltipla evolui num determinado portador durante os anos da doença. Isto pode significar que fatores como idade ao início da doença, sexo, o sintoma inicial da doença, o número de surtos, os intervalos entre os surtos, etc, podem sinalizar maior ou menor benignidade da doença. Os resultados desta importante pesquisa poderão contribuir para a escolha de formas diferenciadas de tratamento em diferentes pessoas.

2. O impacto das alterações visuais na vida dos portadores de esclerose múltipla

Está em andamento no CIEM um estudo que avalia as funções visuais nos portadores de esclerose múltipla e tem o objetivo de detectar as possíveis alterações visuais e o seu impacto na qualidade de vida dos pacientes. Neste estudo, os pacientes se submetem a uma avaliação neuro-oftalmológica, inclusive com a realização de alguns exames de função visual complementares. Esta pesquisa faz parte do projeto de doutorado da Dra. Carolina Araújo e do Dr. Luciano Simão. Este estudo irá contribuir para a detecção das deficiências visuais nos portadores de EM com possíveis implicações preventivas e terapêuticas precoces.

3. Musicoterapia no tratamento da esclerose múltipla

Vem sendo desenvolvido junto à equipe de profissionais e pesquisadores do CIEM um projeto de pesquisa em musicoterapia de grupo na qualidade de vida funcional do paciente portador de esclerose múltipla incluindo as funções visuais. A equipe de atendimento é formada pelas musicoterapeutas Cybelle Loureiro, Shirlene Moreira, pela fisioterapeuta Aline Veiga Loureiro e participação da aluna estagiaria Vanessa Medina. A musicoterapia tem por objetivo auxiliar o portador de esclerose múltiplano desempenho de suas atividades da vida diária, sociais e bem-estar emocional.Possui um conjunto de métodos e técnicas baseadas em evidencias cientificas e que são dirigidas às necessidades de reabilitação do paciente. As atividades musicais e instrumentais são adaptadas de acordo com a dificuldade de cada paciente. As técnicas musicoterapêuticas utilizadas foram criteriosamente selecionadas para ativar a memória, reação imediata, atenção e concentração. São utilizados estímulos auditivos, musicais e sinestésicos para explorar, melhorar a auto-imagem e sentimento de competência do paciente em se mover com confiança, conforto, de forma realística e controlada. Outros esforços buscam promover comportamentos sensíveis de mudanças na auto-estima e auto-confiança através do envolvimento ativo dos pacientes com a música.

Fonte:  http://www.apemsp.com.br/apem/noticia.php?nt=120

Nenhum comentário:

Postar um comentário