sábado, 3 de abril de 2010

Uma esperança para os portadores de esclerose múltipla

Cientistas conseguiram identificar os genes de doenças que atacam as células de defesa do organismo. A descoberta pode facilitar a prevenção das chamadas doenças auto-imunes e foi apresentada no Rio, em um congresso de pesquisadores de 77 países.

Luzia Trindade sofre de esclerose múltipla há 24 anos, já passou longas temporadas em cadeira de rodas. Há muito, uma idéia a atormenta. “É com relação aos meus filhos. Até hoje a ciência não me deu certeza absoluta se eles poderiam ou não desenvolver essa doença daqui a algum tempo”, se questiona a presidente da Associação de Pacientes de Esclerose Múltipla.

Já é possível, sim, saber se os filhos herdaram ou não o mal. A novidade está sendo apresentada em um congresso no Rio. Um grupo de cientistas estrangeiros identificou todos os gens, mais de uma centena, que podem estar associados às doenças auto-imunes, aquelas em que as células atacam o próprio organismo, como a esclerose múltipla - que é a perda de função dos nervos; o diabetes, o aumento de açúcar no sangue; e o lupus, que é a inflamação grave de qualquer parte do organismo.

“Eu sou capaz de determinar para este indivíduo qual é o grau de gravidade da doença, qual a velocidade que ela vai aparecer e quais são os órgãos que serão afetados e conseqüentemente atrasar o aparecimento da doença, ou muitas vezes impedi-lo completamente”, afirma Luiz Vicente Rizzo, coordenador de estudos imunológicos – USP.

No congresso, vai ser mostrado também que a ciência médica não tem mais dúvidas: são cinco os grande vilões provocadores das doenças auto-imunes: a genética, a poluição do ar, a má alimentação, os remédios tomados sem receitas médicas e o stress.

Pelo menos um desses vilões pode ser combatido facilmente. Uma hora de exercício físico por dia e o stress está sob controle. Palavra de cientista.

Fonte:  http://www.apemsp.com.br/apem/noticia.php?nt=117

Nenhum comentário:

Postar um comentário